Você sabia que a água morre?

 

Cada vez mais as pessoas preocupam-se com saúde e qualidade de vida, conciliando as atividades profissionais, com a prática de exercícios físicos e alimentação saudável.

Mas, e a água? Ela, que representa em média 70% do nosso corpo, não está sendo levada em consideração como deveria. Tomar água todo mundo sabe que é importante, mas uma água que efetivamente hidrate e nutra nossas células, além de varrer os radicais livres, não é qualquer uma.

Aliás, a grande maioria da água que bebemos, seja pelo sistema de distribuição normal e filtrada, ou engarrafada, pode estar morta, segundo Márcio Bontempo, médico especialista em saúde pública e nutrição e um dos maiores estudiosos no País sobre a temática da água. 

“Ao ser retirada da natureza, do magnetismo da terra e do contato com o sol, ela vai sofrendo alterações estruturais que causam sua morte”. Autor de 89 livros sobre saúde, Dr Márcio explica que a água parada vai formando macromoléculas que dificultam sua absorção pelo organismo.

Doenças e envelhecimento precoce  

As consequências dessa água morta, sem oxigênio e condutividade, são as doenças e o envelhecimento precoce. ”A única saída é fazer a correção da água”, diz o médico, reconhecido como o introdutor da medicina natural no País. A boa notícia é que já existe no mercado tecnologia que faz essa correção, restaurando a condição natural da água.

Composto por ímãs de neodímio que reproduzem o magnetismo da Terra e o infravermelho longo que simula a radiação benéfica do Sol, o aparelho Fortmag reorganiza as moléculas da água, tornando-a mais leve e oxigenada e, portanto, mais saudável e efetivamente absorvida pelo organismo. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *